Como funciona um seguro de moto?

0
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 LinkedIn 0 0 Flares ×
ampla-brasil-seguro-moto-BH-como-funciona

Ainda que o seguro de carros seja comum e bastante contratado pelos motoristas, o seguro de moto nem sempre recebe a mesma atenção. Mas ele também é muito importante, principalmente considerando que a moto é um veículo ainda mais vulnerável que os carros.

Vamos mostrar como funciona um seguro moto BH para que você compreenda sua relevância e a forma de contratá-lo. Venha conferir e entender tudo que precisa saber sobre o assunto!

Como funciona o seguro moto BH?

O seguro moto BH é igual ao seguro de carros. Na verdade, os dois se encaixam na mesma categoria de “seguro de automóvel” e funcionam da mesma forma.

É possível fazer a contratação de diferentes coberturas, como colisões, incêndios, roubos/furtos, danos a terceiros e outros.

É possível contratar apenas a cobertura contra roubos e furtos e deixar de contratar as demais coberturas, como a que cobre acidentes e a que cobre danos causados a terceiros.

A assistência 24 horas vale para todas as seguradoras, mudando somente a quilometragem em relação ao serviço de guinchos, que funciona também para a troca de pneus.

O preço de contratação é menor que o do seguro de carros e há uma maior aceitação para motos de diferentes tipos, dos mais variados modelos e anos.

Quais são as diferenças entre o seguro total e o seguro roubo/furto?

A cobertura compreensiva do seguro moto BH envolve todos os riscos básicos (roubo, furto, incêndio, colisão). Por ser uma cobertura completa recebe o nome de “compreensiva”, já que compreende as principais situações de sinistro.

Já a cobertura para furto e roubo não envolve a cobertura para perda total por causa de colisões, nem as outras coberturas.

O que é cobertura de APP?

Uma cobertura interessante para os condutores de moto é a de APP (Acidente Para Passageiro). O passageiro, que fica na parte de trás do veículo, está ainda mais vulnerável que o motorista a sofrer acidentes.

A cobertura de APP vale para morte e invalidez por acidente, sendo que algumas apólices também oferecem cobertura para Despesas Médicas Hospitalares (DMH). Para certificar-se dessa cobertura, é importante conferir com o corretor de seguros.

O que acontece diante da perda total de moto financiada?

É importante esclarecer como funciona a indenização, que é paga sempre quando ocorre algum sinistro que resulte em perda total de uma moto financiada.

Caso o sinistro ocorra antes da quitação, o segurado deve conseguir, junto à financeira, a declaração do saldo devedor. Nesse documento, fica especificado o total que ainda deve ser pago e o valor que foi quitado. Desse modo, a seguradora realiza dois pagamentos:

  • um para o segurado, correspondente ao que já foi pago;
  • outro para a financeira, correspondente ao que ainda resta pagar.

O total da indenização é definido conforme a Tabela Fipe. Sempre que o valor do débito for maior que o da indenização, o segurado precisa pagar o valor a mais à financeira.

O segurado ainda deve pagar o DPVAT e o IPVA. Ele precisa entregar o veículo sinistrado à seguradora com os documentos em dia, não importa qual o mês em que aconteceu o sinistro. O IPVA, é bom lembrar, inicia em 1º de janeiro de cada ano.

Após a quitação da dívida, a própria financeira se encarrega de dar baixa da moto sinistrada (gravame) no Detran. Algumas seguradoras só pagam a indenização ao segurado depois do gravame.

A moto necessita de um seguro como qualquer carro. Se ainda não tem, aproveite para fazer uma cotação seguro veicular e contratar um seguro moto BH o quanto antes.

Se você tem uma moto, fique atento a essa necessidade. Se ainda não tem e está em dúvida sobre qual tipo de veículo comprar, aproveite para decidir qual é a melhor opção: carro ou moto!

Procurando proteção veicular ou residencial? Entre agora em contato:





Comentários no Facebook